domingo, 20 de agosto de 2017

O QUE FAÇO SEM VOCÊ

O vento leva os amores como o voo dos pássaros...
Como eterno apaixonado
E num despertar contente
Em constante pensamento
Sai o poeta andante
De porta em porta
Itinerante na estrada
Propagando os amores
Aos quatro ventos
Igual o pássaro alado
Voando em lugar diferente
Abro a janela
O sino toca na capela
Mas de repente escurece
Vão passando os dias
A solidão pega de jeito
Apavorando o coração
Ela chega devagar
Maltratando o rosto
Fazendo doer o peito
Cheio de desgosto
Obscurecido pelo tempo
Então pergunto anuviado
O que faço eu sem você
Sem o aconchego nos seus braços
O calor dos seus beijos
A pulsar num abraço
Quando lhe vejo?
O que faço eu sem você
Quando me deito
E na vertente dos sonhos
Ponho-me a lhe procurar
Doido para lhe ver
Sem lhe encontrar?
O que faço eu sem você
Quando acordo sozinho
E não lhe encontro
Na cama ao meu lado
Para fazer um carinho?
O que faço eu sem você
Sem ter o brilho do seu olhar
Piscando na mente
A me namorar?

Poetisa Mj, em 20/08/2017.

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

PAZ, AMOR, UNIÃO E HARMONIA

Escrevo esta oração
Com a força do pensamento
E clamo a Deus
Pai de misericórdia
Tende piedade
E não deixe
Que o sangue do irmão
Seja derramado á revelia
Porque aqui do sertão
Olhei para o céu
Olhei para o mar
Olhei para todo lugar
E a saudade bateu forte
De Leste ao Oeste
Do Sul ao Norte
Retirei o véu
A máscara caiu
Vendo a hora
De acabar o mundo
Com tanta violência
A chacina não para de acontecer
Em cada esquina
Num ato de covardia
É o que vemos
Nos meios de comunicação
Não precisamos dessa decadência
Está faltando diálogo
Com a semente do amor
Plantados no coração
Isso faz toda diferença
O povo fica marcado
Enlutado de dor
O que eu quero
O que ele quer
O que todos nós queremos
É união e harmonia
Que a maldita guerra acabe
Que a paz bendita volte a reinar
Todos os dias
Neste grande universo!
Que assim seja...

Poetisa Mj, em 18/08/2017.

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

LABORATÓRIO DE EXPERIÊNCIA

Assim é a vida e sempre será! Bom dia.
Existe o tempo
Para a criança ser gerada
E a mamãe toda encantada
Espera nove meses
Para o filho nascer
Chorar e sorrir
Falar e crescer
Cair e levantar
Discutir e aprender
Insistindo no caminhar
Escutando sem exigência
No seu modo de viver
Atingindo a adolescência
Como o sol no despertar.
Há tempo para se descobrir
Errar e se consertar
Porque dá desgosto
Ver um livro despedaçado
Igual o homem sem rosto
Ele não tem passado
E nem história para contar.
Também há o tempo
Para a terra ser arada
Cavar e semear
Deixando a mesma germinar
E florescer igual o botão de rosa
Toda prosa embelezando a serra
Depois colher o fruto do amor
Arraigado no coração
Sem sentir dor.
Tempo do desfolhar da árvore
O tronco secar até morrer
Servindo de adubo
Para que outra renasça
E num piscar de olhos
Tudo passa ao redor
Sem poder aproveitar.
Assim é a vida e sempre será
Um laboratório de experiência.

Poetisa Mj, em 17/08/2017.

terça-feira, 15 de agosto de 2017

VAGÃO ABANDONADO

Não somos donos das nossas vontades, o melhor é deixar que Deus, Pai justo e misericordioso nos conduza nessa longa jornada para onde Ele quiser, pois o futuro não nos pertence, foi assim que naquele vagão abandonado, o vim-vim engaiolado, falador como ele só e de besta não tinha nada, fez uma enorme ladainha, e quando estava no alto do juazeiro, estufou o peito e gritou todo faceiro, - Sai para lá que a vaga é minha, eu cheguei para ficar, ou até que me ponham no cativeiro, de novo, e se isso acontecer, eu quebrarei as telas e sairei vitorioso, pois não adianta cortarem as minhas asinhas, e todas as vezes que tentam, elas crescem com mais vigor e uma exuberante beleza, sem falar no meu bico afinado, que além de comer semente, canta um canto bem aprumado!
Escritora Mj, em 15/08/2017.

domingo, 13 de agosto de 2017

FELIZ DIA DOS PAIS

Pai,
Três letras pequeninas
Que desde menina
Aprendi a conhecer
Existe o Pai dos pais
Justo e verdadeiro
Repleto de luz
Que doou seu filho Jesus
Para nos dá a salvação
Há o Pai de criação
E também o bandoleiro
Que deixa o filho abandonado
Pois aquele que é Pai
Leva o filho no coração
Sem deixa-lo sofrer um bocado
Assim como o Pai(lhaço)
Também há o Pai com aço
Que mesmo distante
Procura ficar perto do filho
Para qualquer emergência
Mas há a Mãe/Pai
Cheia de encanto e beleza
Que segura ás consequências
Não deixa faltar o pão
Para abastecer a mesa
No entanto para se tornar Pai
É preciso ser filho
Crescer e aprender a amar
Para gerar outro ser
Pois ser Pai
É um dom divino
O iniciador da família
Orientado para orientar
É espelho refletido
Pai é mais do que um amigo
É alguém para se orgulhar
Pai é pessoa especial
Um herói dentro do lar
Distingue o bem do mau
Carinhoso e compreensivo
Pai também é avô
Deixa uma enorme herança
Repassando o dom do amor
Honrando o nome do Pai
Até na posteridade
Porque quando ele se vai
Só resta dor e saudade
De tudo que já passou.

Poetisa Mj, em 13/08/2017.

sábado, 12 de agosto de 2017

FOGO QUE ARDE A MENTE

Bom final de semana para todos!
Na doce ilusão envolvente
Explosão que o coração sente
Dá paixão e amor insolente
Num sentir existente
Queimando no eterno jogo
Do fogo que arde a mente
Deixando preso ao teu olhar
Engolido no silencioso beijo
E agitado no teu peito
No leito que acalma a gente
Todo sentimento vivido.

Poetisa Mj, em 12/08/2017.

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

ARTE E POESIA

A vida imita a arte, ou será o contrário... Bom final de semana.
Criar e desenvolver
Um verso por dia
É como fazer uma flor de crochê
Numa explosão de sentimento
Não pense que é um dilema
E no momento vivido
Neste grande universo
Cheio de fantasia
E com muita habilidade
Onde a tática é o amor
Tudo se torna poesia
Basta usar a imaginação
Com lápis e papel na mão
Escrevemos á granel
Usando em cada pergunta
Um ponto de interrogação
Já com agulha e linha
Podemos enfeitar um véu
Numa trança vemos a vogal
O anel é uma palavra
Cada pétala é uma frase
Repleta de consoante
Num mudar constante
E quando termina o trabalho
Temos um produto de qualidade
O mesmo vira um lindo texto
Encantando os olhos
E a alma de quem lê nas entrelinhas
Deixando o coração do artista
Eternamente agradecido.

Poetisa Mj, em 11/08/2017.

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

EM CONEXÃO COM O VENTO

Uma quinta feira feliz para todos!
Ó tempo dos tempos deste tempo
Dai-me alento nas palavras que escrevo
Em sinal de coerência ao meu pedido
Nesta prece a qual faço com veemência
Não me deixe sucumbir por desespero
Traz-me a vida o coração que longe está
Do amor que de outrora faz presente
E com afago bela face acariciar
No deserto barulhento da planície
Cá estou devotada em pensamento
Pois prendendo a respiração com vigor
E te procurando dentro do mar
Gritei no mais sublime sentimento
Mas tu não escutaste a minha súplica
Entrando em conexão com o vento
Dei voos rasantes ao redor dos pássaros
Olhei longe e nada avistei
Recorri à lua para me ajudar
E na harmonia da relação
Respondeu com um olhar vibrante
Que eu não deixasse de sonhar!

Poetisa Mj, em 10/08/2017.

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

NA VERTENTE DO MAR

Navegue sem medo e seja um desbravador!
Sendo um simples pensador
Escrevo em verso os meus ais
Sem aspa e sem reticência
Procurando a essência
No livro a ser folheado
Pois na vertente do mar
Eu vi em teu olhar
Algo que nunca senti
Imaginando ser o amor
Tão esperado
E nessa onda gigante
Comecei a navegar
Rente à estrada que passei
E ali parei como gente
Deixando-me levar pela correnteza
Contente porque vivi
Desbravando o universo
Vencendo as barreiras da incerteza
Até chegar a nascente
Como eterno apaixonado
Sonhador que busca alento
Nas aventuras da vida.

Poetisa Mj, em 09/08/2017.

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

A SEMENTE DA INVEJA

Rica semana abençoada para todos!

Rogo a Jesus que te proteja
E te abençoe
No teu modo de viver
E nas estradas que passares
Jamais te falte luz
Pois me alegro 
Ao ver os raios do sol 
Esquentando o tempo 
Para toda gente sem cobiça 
E com sofreguidão 
Sinto a carícia do vento 
Deslizar no meu rosto 
Quando abro a janela 
Observando a natureza 
Mostrar ao mundo 
A sua real beleza diante dela
E sem hipocrisia 
Quero dormir ao relento 
Falar com as flores 
Sentir nos amores 
A grandeza dos pássaros 
Na sinfonia da mais bela canção
Vendo o irmão progredir
Mas meu coração 
Fica lento e ressentido 
Quando vejo uma prática milenar 
Destruindo a terra 
É a semente da inveja 
Plantada no paraíso 
Sendo a causa da tentação 
De Eva pela serpente 
Ofertando uma maça 

Na cor de carmim 
Deixando na boca
Um gosto ruim
E amargado de fel 
Porém quem tem amor no coração 
Não deseja o mau
Para quem quer que seja 
Como fez Caim com Abel!


Escritora Mj, em 07/08/2017

domingo, 6 de agosto de 2017

NO RECANTO DA LAGOA

Acalme o pranto com o canto das aves! Bom domingo.
Lá no canto
O sol levanta devagar
Ouvindo o som da natureza
Logo cedo ao acordar.
Bem te vi ouço teu canto
Igualzinho ao sabiá
No recanto da lagoa
Tu não paras de cantar.
O xexéu da bananeira
Arredou o pé de lá
Imitando o beija flor
No pé de maracujá.
O uirapuru cantador
Emissor de som agudo
Ao ver corruíra e carriça
Transformar-se na garrincha
Deu um pinote no tempo
E voou pelo mundo.
Mas bicho matreiro é o condor
Escondido na montanha
Arrumou sua malinha
E se mandou pra Alemanha.
O gritador cricrió

Falador como ele só
De besta não tinha nada
E do alto do juazeiro avisou
Sai pra lá que a vaga é minha!

Poetisa Mj, em 06/08/2017.

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

TEMPERO DA VIRTUDE

Tempere a vida com pensamentos positivos! Bom final de semana.
De boa no madrugar
Há um lugar diferente
Um céu todo estrelado
No espaço a versejar.
Há um caminhar de gente
Ao poder abraçar
Com a força do pensamento
A semente da verdade
Bem guardada na mente
Gerada na fidelidade.
E o coração independente
Nasceu na simplicidade
Sendo filho da humildade
E cheio de ventura
Tornou-se mulher
Criada na bondade alheia
Amargou no tempo a desventura
Sentiu as dores na pele
Mas viajou até a lua
E sentando-se nas nuvens
Conheceu a estrela cadente
Expôs um problema
Que não sabia decifrar
A outra riu do dilema
E em um despertar contente
Com raios de sol a brilhar
Lembrou-se do tempero da virtude.

Poetisa Mj, em 04/08/2017.

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

NAS VOLTAS QUE O MUNDO DÁ

Amor, ah, o amor
Onde estás que não te vejo!
Tem gente desajustada
Desencantada e cheia de fantasia
Carregando dentro do peito
A malvada tristeza
Na fria dor.
Mas o amor precisa de óleo
Para tornar dourada a sereia
Que habita no mar encantada.
Um barco ou um navio à deriva
Desviando da rota
E não tendo como ancorar
Assim é o amor dos amores
Nas voltas que o mundo dá.
Uma combustão tão valente
No pequeno mundo presente
Amor, ah, o amor, onde estará!
Esse era o desejo
De alguém que queria amar.
Porém o sexto sentido assim diz
Não faça isso aprendiz
Seja você e mais ninguém
Nessas voltas do mundo.
E não tendo como ficar
Corra de lá mais de cem
Pois mesmo um vagabundo
Tem um amor para abraçar.
À noite pega a viola
Que sai cumprindo sua sina
E nas mãos do seu companheiro
Ela não descontrola
Toca mais que uma vitrola
No Nordeste brasileiro.
Seja no céu, no chão ou no mar
É preciso ter cuidado
Nas voltas que mundo dá.

Poetisa Mj, em 02/08/2017.