segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

TRILHA SONORA

Em busca de aventura no espaço, a alma veleja além do infinito.
Hoje sei que arrasaste
Pois buscaste no fundo do baú
A maravilhosa seleção da trilha sonora
Que adentrou na profundeza da alma
E alheia no tempo e no espaço
Faz-me velejar nos confins mais longínquos
Do meu sofrido coração
Na constante busca de aventura.
Então com um lenço branco
Tento enxugar o amargo pranto
E as lágrimas da saudade ausente
Deixando o corpo quente
Tomar conta de todo o meu ser.
E se a luz que te ascende á própria alma
Não fosse tão bela como o infinito
Eu simplesmente não existia
E não seria uma aquarela
Rebuscada nas cores da emoção.
E sem demagogia, meu amigo,
Vou pensando na poesia discreta
Como a porta entreaberta
Respirando o puro ar
Porque Deus te criou
E o rascunho 

Fez questão de jogar fora
E se houvesse outros assim
O mundo seria diferente
Haveria mais amor e compreensão.

Escritora Mj, em 27/02/2017

domingo, 26 de fevereiro de 2017

O BURRO E A SUA SABEDORIA

- Qual é o seu nome moleque?

- Juvêncio, senhor!
- De onde você vem serelepe?

- Eu venho de casa, senhor!

- E para onde vai na carreira?

- Eu vou trabalhar com meu pai ao pé daquela serra, apontando o local, lá tem uma palhoça que pertence ao meu avô Januário, senhor!

- O que é isso no seu pescoço?

- No meu peito eu carrego o rosário, senhor! Ao meio dia, Juvêncio retorna da roça suado feito um gambá e numa carreira só, como era seu costume para chegar mais rápido em casa, e novamente encontra com o senhor José, conhecido por “Zé”, que continuava sentado na praça e assim que vê o menino, o interpela para saber como foi no trabalho, e após contar os detalhes das suas façanhas, o menino pergunta,

- Seu Zé, burro fala?

- Que marmota é essa, menino? Não, nunca vi um burro falar, ou qualquer outro animal, mas porque você perguntou isso, anda, me diz!
- Porque eu vi um falando sozinho agora mesmo, ali na esquina, seu Zé.

- Virgem santa, então você sonhou, e o que ele falava e com quem?

- Bem, eu ia passando e o burro estava com a cabeça para cima, olhando para o céu, como que pedindo clemência, aí apareceu um doutor das letras rodeando ele, puxou a cabeça do mesmo para baixo, fixou os olhos nos olhos do animal, e disse na orelha do burro, “voz de burro não chega aos céus”, e o coitadinho murchou as orelhas, então foi pastar, mas ao sair, olhou para trás e respondeu para o doutor,

- Pensam os sábios que são sábios o suficiente para saber o que existe entre o céu e a terra, porque a melhor e a mais poderosa arma contra o inimigo, ainda é a oração, e aquela frase, seu Zé, chamou a minha atenção.

- Ô, situação difícil de explicar, replicou o Zé, mas o burro tem razão, Juvêncio, e aí está uma grande lição de sabedoria, muitos pensam que sabem alguma coisa, porém eles não sabem e nem entendem nada... Assim o menino serelepe foi para casa matutando na cabeça as palavras do amigo, porque naquele mesmo dia aprendera mais um ditado popular e uma lição de vida.



Escritora Mj, em 26/02/2017, em A Fábula do Burro

sábado, 25 de fevereiro de 2017

LIÇÕES DE VIDA

- Menina, dizia sua mãe, a vida é um eterno aprendizado, ninguém nasce sabendo das coisas e para ser uma pessoa decente, tem que sofrer antes, por favor, entenda, porque isso engana muita gente, pois quando eu tinha a sua idade também me enganei mas aprendi com o tempo, se estás aqui, aproveitas e aprendes porque dentro da tua mente tem uma pequena semente plantada a qual começa a germinar, e um dia, quem sabe, vais desfrutar dela como profissão, vamos, desenvolve essa arte porque vai chegar um tempo que não estarei mais ao teu lado, tens sete anos, ainda és muito bobinha e comeces a praticar, pega esta agulha de aço que coloco nas tuas mãos, e este novelo de cordão, deixas de lado o cansaço, não fiques zangada quando falo brava contigo, enrolas no dedo e das um laço, prestes bem atenção aos conselhos que te dou...
Escritora Mj, em 25/02/2017 - Conselhos e Ensinamentos

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

MINHA MUSA INSPIRADORA

Os teus lábios, meu amor
Prepara a taça preciosa
Desse vinho incolor
Que me deixa com vontade
De saboreá-lo com carinho
E num abraço forte
Apertar-te ao peito
Querendo tremer e sentir
Sonhar e dormir nesse ninho
Então cá do norte vejo-te partir
Como a estrela cadente
Andando com teu jeito moleque

Fazendo-me subir nas alturas
Carregando no olhar um sorriso
Que eu abria ardente o leque
Como o fogo em brasa
Sentindo-me cheio de desejo
Mas a cena foge torta
Deixando a alma outrora serena
Sofrendo de desgosto
Numa tremenda rebeldia
Porque não tenho coragem
Pra declarar ao mundo
Em segredo de Estado
O que sinto por ti
Então faço gritar 

Através desse verso
Pra que chegue ligeiro
Aos ventos do universo
As palavras que brotam do coração
E dizer ainda que tu és
A minha musa inspiradora
A tentação dos meus instintos
E a minha grande motivação.
Queria poder falar que largaria tudo
Pra viver só contigo 

Numa cabana qualquer
Porém se esvai a valentia
Deste pobre coitado
Sofredor das amarguras
E como não tenho esse poder
Vejo-te de longe na passarela
Oh, minha linda donzela!

Escritora Mj, em 23/02/2017

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

GOSTARIA DE TER RAZÃO

A vida é igual a um bruto diamante
Ela cresce linda e brilhante
Mas quando cai, nem parece
Quebra-se de susto em mil pedaços
Espalhando-se na areia
Sem ter quem saiba consertar
E eu, gostaria de ter razão
Ao pensar que as árvores
Não reclamam do solo seco e doente
Porém sei que elas sentem
O estrago na natureza
Que antes era bela e formosa
E hoje chorosa
Reclama da terra sem liga
Pois passam o trator com tudo
Retirando a sua beleza
Além dos agrotóxicos potentes
Sem falar no fogaréu
Que faz chorar o céu de tristeza.
Gostaria de ter razão
Ao pensar que é preciso
Regar as flores no jardim dos sentimentos
Para que também não pereçam
Na escuridão do infinito
Entretanto os meus pensamentos
Levam a crer que a solidão
Fala mais alto traindo o coração
À espera de algo mais
Ou da essência propriamente dita
Mas isso é regalo da alma sofrida
Na destruição do corpo em vida
Porque a razão é um mistério encantado
Que a própria razão desconhece.


Escritora Mj, em 22/02/2016

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

ALMA VELEJANTE

Mistérios encantados que não serão decifrados...
Deixa-me rastejar com a minha dor.
Deixa-me chorar por um momento
Esta angústia desenfreada
Que toma conta de todo o meu ser.
Deixa-me esvaziar o peito disforme
Talvez assim consiga um pouco de alento
Diante das amarguras adquiridas
Por todo o tempo vivido.
Sou uma partícula do sereno

Na fria madrugada
Água que escorre e seca com o vento
Apenas um ser errante a flutuar
Que se fez incompleto pelo medo
A esmo na estrada vazia
Outrora ultrapassada.
Um tudo do nada que passei
Uma estimativa supostamente conjeturada
Sem forma, sem freio e sem travão
Que não conheceu o fim da montanha
No vão da distância percorrida.
Assim sai velejando sozinho a remar
Nas lembranças do pulmão da alma
Dentro de um barco a singrar
Contando as histórias do passado.

Escritora Mj, em 20/02/2017

domingo, 19 de fevereiro de 2017

CARNAVAL DA FOLIA

Preserve a vida, pois álcool e direção não combinam.
Chegando pra contagiar
E escrevendo palavras soltas
Pois no tempo que era moço
Na livre infância querida
E no desabrochar da juventude
Estampada no rosto
Uma alegria contagiante
Brincava carnaval na folia
Com euforia desenfreada
Bem no meio da poeira
Enfeitada de confete e serpentina
Onde a Colombina
Cheia de charme
Dançava com Pierrot
Pensando no Arlequim
Três dias sem parar
E só saía de lá
Na quarta-feira de cinza
Sem poder andar.

Escritora Mj, em 19/02/2017

sábado, 18 de fevereiro de 2017

CHÃO DE ESTRELAS

Daquele quarto amarelo
Na caatinga do sertão
E através do chão de estrelas
Vi o luar tão belo
Que abalou meu coração
Então me lembrei de ti
Deitei e adormeci em seguida
Sentindo teu cheiro ao meu lado
Virei e te abracei
Ou foi tu quem primeiro me abraçou
Não sei
Só sei que me deliciei
Com o gosto do teu beijo
E no aconchego dos teus braços
Senti a sensação de liberdade
Pairando no ar.

Escritora Mj, em 18/02/2017

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

NÃO DESLIGUE O RÁDIO

Não desligue o rádio
Não quero lhe ver triste
E nem morrer de tristeza
Então deixa meu coração ouvir
E sentir a bela música
Que toca baixinho ao meu ouvido.
Deixa florir esse sentimento
Não desligue o que ainda resta
E que nos une pela fresta da porta
Porque foi aqui que muitas vezes escrevi
Palavras soltas rebuscadas de sonhos
E fantasiadas na imaginação
Nas duas linhas paralelas
Seguindo na mesma direção.
Eu sei que são mundos diferentes
Porém é assim que vejo
Dois temidos caçadores
E cada um com suas dores
Silenciadas através do tempo.

Escritora Mj, em 16/02/2017

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

DESISTIR, JAMAIS!

Ei, não desistas de lutar contra as incertezas da vida, recuperes as energias, és uma mulher forte e nada poderá te abalar, veja que cada um carrega uma cruz, grande ou pequena carrega sempre, ninguém escapa, meu conselho é, que continues trilhando todos os dias firme nos teus propósitos, mesmo percorrendo estradas tortuosas, cheias de curvas. Tudo bem que leves desacertos, no entanto nunca deixes de espalhar beleza e sorrisos por onde passares porque tens um Deus maravilhoso que não vai te deixar cair, e se por acaso caíres, levanta, pois é exatamente essa força que te mantém em pé, sem falar de que na realidade já és uma vencedora, força!

Escritora Mj, em 14/02/2017 - Mensagem de Otimismo

domingo, 12 de fevereiro de 2017

ALÉM DO INFINITO

Lá vai o barqueiro
Conduzindo seu barco
Em alto mar
Correndo de um lado para o outro
Estendendo a rede sem parar
Para o peixe alcançar.
Na imensidão do infinito
O avião sobrevoa o céu
Ultrapassando as nuvens
Capuchinhos de algodão
Tão doces de provar
Porém longe de pegar.
O galo canta no terreiro
Em um lindo despertar
Então penso em ti
Cada segundo sem parar
Espreito-te na noite
Velo teu sono sagrado
E ao ver-te dormir sossegado
Minha alma fica tranquila
Acordando bem contente
Assim começo meu dia
Com mais vontade de lutar.

Escritora Mj, em 12/02/2017

sábado, 11 de fevereiro de 2017

VIVA E DEIXE ACONTECER

Através do abraço sincero damos alento a quem tanto precisa...
No vilarejo encantado
Neste canto e no meu canto
Ouço o cantar da natureza
Inebriada de encanto
Pelo farfalhar das folhas
Verdejantes de beleza
Pedindo clemência ao Pai
Para não sucumbir de tristeza
Então é no badalar do sino
Que sonho um sonho pensado
Pausado ao redor do mar
Navegação do olhar no além
Emoção forte no ar
Na expressão das palavras
Um encantar e amanhecer
Sol dourado dentro do ser
Devagar como passarinho
Cantando dentro do ninho
Pois aproximação é sorte
Abraçar-te ao acordar
Viver e deixar acontecer
Sem preocupação com a morte.

Escritora Mj, em 11/02/2017 

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

NÃO RECLAME DE BARRIGA CHEIA!

Senhor Deus do universo, criador das coisas visíveis e invisíveis, quando pequeno li num jornal que o mundo era redondo e parecia com uma bola de futebol, fiquei impressionado e triste com aquela notícia e já não conseguia dormir direito, pois tinha medo de cair num abismo e me quebrar todinho, e a minha mente não captava bem certas notícias, e certo dia deixei de lado a timidez e perguntei a alguém,

- É verdade o que está escrito no jornal, o mundo é redondo igual a uma bola de futebol? E se aparecer uma pessoa má e queira chutar essa bola para outro lugar, o que será de nós?

- Mantenha a calma, criança, respondeu o alguém, sim, o mundo é redondo, porém não tem perigo, ele gira, mas não cairá.



- Mas como isso é possível? 


- Veja o sol, todos os dias ele aparece, e o mundo gira ao redor dele, sem perigo, completou, e quando você crescer irá compreender melhor na escola. 

Realmente cresci, conheci e aprendi quase tudo através dos livros e dos ensinamentos dos professores, quanto aos meus medos, eles sempre continuaram independentemente da minha idade cronológica porque os descasos ficaram mais constantes, e diariamente combato, através dos meus escritos, todo tipo de violência e crime ambiental, e como se não bastasse estão matando aleatoriamente os animais, derrubando árvores sem nem se preocuparem em plantar outras nos lugares para que mais tarde haja sombra e alimento para os seres vivos, porém infelizmente o homem é um terrível predador, e com isso estamos sofrendo as consequências dos atos insanos, pois a mãe natureza a toda hora está cobrando o descaso, os tempos estão mudados, não é mais como antigamente, a seca está assolando o Nordeste, a fome encontra-se encravada em muitos lugares, vemos pessoas nas calçadas dormindo ao relento sem um pedaço de pão para saciar o estômago, a luta pelo poder fala mais alto, tem também a falta d´água que já pode ser vista em muitos lugares, como pode ser comprovado, e amanhã teremos um futuro incerto, desculpa o meu desabafo, Senhor, mas é verdade, daí sinto-me vazio por dentro, angustiado, estou como um barco esquecido na onda mais alta do mar sem fim, porém sei que Você me deu a pesada cruz porque sabe que posso suportar garbosamente, mas confesso humildemente que a minha carne é fraca e sempre fraquejo caindo nas tentações do inimigo, entretanto sigo passando por cada provação de cabeça erguida, na certeza de que o sol surge todas as manhãs na constante renovação da esperança, e quando pensamos de que as coisas almejadas, principalmente os sonhos, não estão dando certo, Você vem, na Sua divina misericórdia, e diz:

- Calma, meu filho, não é assim que as coisas funcionam, tudo a seu tempo, tenha paciência, pois rico é quem contenta-se com o que possui, então seja forte e persevere nas suas ações benignas, e nunca diga que não poderá fazer isso ou aquilo porque se sente incapaz, ledo engano, pois você tem dois pés para caminhar aonde quiser, e mesmo que não os tenha, até numa cadeira de rodas poderá se locomover; você possui duas mãos para trabalhar no que desejar, e mesmo que elas não funcionem, ainda terá a capacidade de usar outros membros do seu corpo, porque Lhe dou o frio conforme a roupa; você também possui a capacidade suficiente de raciocinar, de escolher qual caminho deverá seguir, então use todas as armas a seu favor e a favor do próximo sem reclamar, uma vez que existem pessoas que passam problemas piores do que o seu e mesmo assim estão conseguindo sobreviver, até sem enxergar coisa alguma portanto, não reclame de barriga cheia, quanto as mudanças do tempo e as suas consequências, agradeça pela oportunidade de estar vivo e pelo novo amanhecer, porque é mais uma oportunidade para recomeçar e continuar lutando por melhores dias, e lembre-se de que a vida é um tremendo laboratório de experiência, por isso se prepare para as adversidades que ela traz, e para a execução de cada tarefa dada até o final de cabeça erguida, de forma competente e com atitudes benéficas para todos, sem magoar ou denegrir quem quer que seja..." Obrigada por consolar este frágil coração e me dar o alento necessário para continuar acreditando, e que assim seja, Senhor, hoje e sempre!

Escritora Mj, em 10//02/2017

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

ESQUECI DE ME LEMBRAR

No sertão é assim, de inverno a verão, quando o galo canta na madrugada os moradores da roça acordam muito cedo e enquanto as mulheres preparam o café, os homens caem na estrada, vão soltar os bezerros e tirar leite das vacas, outros se embrenham nas matas para cortar lenha, colocar ração para o gado, roçar mato, cuidar do galinheiro, da pocilga, dentre tantos outros afazeres, e nas minhas andanças em busca de mais elementos para o meu livro, parei na porteira de um sítio todo arborizado, contendo fruteiras de várias espécies e um pequeno jardim colorido ao redor da casa, então fiquei observando Dona Zica, esse era o nome dela que me falaram, mulher sertaneja nata, parteira afamada da região, sem papas na língua, estava sentada no terreiro da casa para catar uma cuia de feijão o qual estava dentro de uma bacia de alumínio, o mesmo ia ser cozinhado na panela de barro e no fogão de lenha, então tomei coragem e gritei: Ò de casa!



-Ô de fora, lovado seja Nosso Senhor Jesuis Cristo!

-Para sempre seja louvado, respondi. 

-Pode entrá e se achegue aqui nesse banquinho, assim o fiz, entrei, cumprimentei a mulher, sentei no banquinho ao lado dela, ofereceu-me uma xícara de café que aceitei de bom grado, e passamos a conversar sobre o tempo, a vida no interior, enfim, de tudo um pouco, mas de repente, sem levantar os olhos, ela grita chamando um dos filhos:

-Zezin, vem cá, meu fio, corre buscá água no barreiro pra mode encher os potes e cozinhar pra esse povo! O rapaz sai, e nessa hora ela fica remuendo nos pensamentos: Vige do céu, esqueci de comprá um pedaço de jabá pra temperá o fejão...E lá vai ela, de novo a gritar chamando o companheiro chamado Sebastião que está a uns cinqüenta metros da casa, de cabeça baixa, ajeitando uma cerca de arame farpado, e o grito ecoa no ar,

-Tião!

-Oi, muié, o que tu qué?

-Quero que tu vá na budega!

-Fazê o que na budega, muié?

-Comprá um pedaço de jabá pra mode temperá o fejão e nois temo visita, tu vai!?

-Tá bom, eu vou já, tenha carma! O tempo passou e nada de Sebastião chegar com o pedido da esposa, porém algumas horas depois, já arretada da vida dona Zica grita pro marido da porta da casa.

-Tião, fi duma égua!

-Fala, muié danada!

-Tu fosse na budega comprá o que eu pedi?

-Ara, fui sim, sinhora!

-E cadê que tu num veio me trazê?

-Mai eu comprei, cabôca veia, tá aqui!

-E tu pagô ou mandô botá na caderneta?

-Craro que paguei, oxente, ninguém me dá nada de graça!

-Trais aqui e me diz, quanto foi?

-Foi quinhentos contos de réis.

-Vige, e foi tão caro assim, homi?

-Tá tudo pela hora da morte, Zica! Dona Zica abre o pacote e lá não tinha a mercadoria que ela mandou comprar, já arretada da vida, aí o bicho pegou,

-Fi dessa, daquela outra, fi duma égua, eu num pidi isso não sinhô!

-Oxente, vige Maria, e o que foi mermo que tu mandou eu comprá, muié de Deus?

-Ara, tu ta se fazendo de moco, fi da bixiga, me alembro qui mandei tu comprá um pedaço de jabá e tu, bicho véi, veio cum uma garrafa de prefume, ainda mai dum xero isquisito qui num gosto, vôte, apois agora tu vai comê fejão chirre pra mode apendê, cabra véi!

-Agora danou-se, discurpa eu, minha véia, esqueci de mim alembrá! Bem, eu vi a coisa tão feia que resolvi dar uma desculpa qualquer, me despedi do casal e saí dali mais ligeiro do que rapidamente, e esse era o retrato e o linguajar dos habitantes antigos que moravam nas redondezas da cidade.

Escritora Mj, em 09/02/2017

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

ENTRE QUIMERAS

Não pode ficar acomodado, tem que lutar para ver seus sonhos realizados!
No local onde a criatura se encontrava, o vento soprava do lado leste , podia-se ouvir o forte barulho no oeste bem perto daquela ilha fluvial, bem como nos engenhos e canaviais, na hora em que ele tirava o sustento para alimentar os filhos e os animais embaixo da claridade da terra, daí surgia uma luz que iluminava toda gente, e muitas vezes dos que almejavam contente, procuravam e não encontravam a paz de uma alma vivente que pudesse lhe ajudar, então vivia sonhando acordado que era, e jurava em pensamento que fosse um mar de rosas na janela, porém não passava de um corpo agonizante nas adversidades da vida, entretanto era no atenuante da chuva que regava sem cessar as flores que surgiam no regaço do jardim, tão suavizante como a quimera que ela podia recomeçar e agradecer do nascer ao por do sol por todos os benefícios recebidos, sem reclamar.

Escritora Mj, em 08/02/2017 -  Pequeno conto

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

LAGRIMAS DE TOURO

Se quer ser tratado de igual por igual, trate bem um animal, pois ele tem sentimento!
Do lado do meu sertão
Pras bandas das Alagoas
Passei com o gado leiteiro
Pra fazenda do patrão
Na frente da vaquejada.
O dia tava bonito
Com o céu muito azulado
E um magote de gente
Tudinho atrepado
Na maior animação
Mas vi Dom Quixote
Um touro muito arrojado
Criado na mamadeira
Por trás da cerca farpada
Gritando pra mim do nada.
Virei o rosto ligeiro
Pra comprovar a latumia
Era o valente brejeiro
Chamando a vaca malhada
Pra fazer lamentação
Mas vi na cara do bicho
Cair dos olhos uma lágrima
Apeei do meu cavalo
Retirei o chapéu de couro
E me assentei pra ouvir
Aí chorei quando ele disse
Que seus pequeninos irmãos
Tombaram feito besouro
Por causa da selvageria
Praticada pelo homem
Vazio de coração.
Na hora fiquei aperreado
E a toa sem saber o que dizer
E nem como ajudar
Porém sou cabra da peste
Nasci no grande Nordeste
Guerreiro por natureza
Também um pouco azuado
Isso não é brincadeira que se faça
E pela luz que me alumia
Quebrei a tala do cercado
Pro coitadinho fugir
Corri por outro lado
Juntei gado com gado
E caí na estrada crua
Onde só tinha poeira
E até hoje espero
Que venha alguém reclamar
Do meu ato praticado
Porque do jeito que sou
Ninguém irá me encontrar
E ainda conto com a proteção
Do padre Cícero Romão
Ao Norte do Juazeiro.
Escritora Mj, em 06/02/2017

domingo, 5 de fevereiro de 2017

TIGRESA FERIDA

Presente passado que queima a mente...TE AMO VIDA!
Lhe vendo a história contada
No valor que comprei
Porque mantive em segredo
Um amor que tanto amei
Hoje sua voz ecoa na minha mente
Como uma semente plantada
Acordo e as imagens chegam
Do tempo que fui amada
Das carícias trocadas
E dos bons momentos vividos
Ao seu lado sem cessar
Mas na imensidão do infinito
Perdi o brilho no olhar
Porém se pensar que sou louca
Ou tenho paixão recolhida
Hoje me sinto ferida
Esquecida e rejeitada
Por você, meu amor
Como uma tigresa desgarrada
À toa numa mesa de bar
E diante de tanta beleza
Sigo bebendo a desgraça do fracasso
Tentando afogar as mágoas
Por não ter mais a quem amar
.


Escritora Mj, em 05/02/2017

sábado, 4 de fevereiro de 2017

NÓS E O TEMPO

Deus proteja o teu silêncio sem ferir a ninguém!
Num tempo em nós
Escrevi as razões da vida
Em verso e prosa
Para uma flor desconhecida
No cimo do progresso
Anotei recados de amor
E enviei ao universo
Voei como pássaro desinibido
Aterrissei na terra em fogo
Andei por entre as roseiras
Plantadas nos roseirais
Todas vestidas com pétalas jubilosas
Cantei diversas melodias
Para te encantar e florescer
Supliquei um pouco de paz
E para não te machucar
Levitei no triste canto da natureza
Destruída e cansada de sofrer.

Escritora Mj, em 04/02/2017

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

DECISÃO

Hoje eu não quero mais chorar
Quero sentir teu calor
Abrigar-me nos teus braços
Aninhar-me até adormecer
Sentindo o gosto dos beijos
Num apertado abraço
Falando sem aspas
Deixando incendiar o coração da gente
Para que a mente grave na alma
Os bons sentimentos
E ao mesmo tempo
Olhar do alto da janela
O sol despontar no horizonte
Cobrindo todo universo
Sem relógio marcando o tempo
Deixando a vida doce e bela.

Escritora Mj, em 02/02/2017

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

A QUEM INTERESSAR POSSA

Viva cada momento como se fosse o último!
No céu, as nuvens abrem-se em leques multicolores, são plumas brancas de todas as cores, esvoaçantes que indicam o lugar de cada toque teu no meu corpo, então alguém ouviu meu lamento, tocou-me na alma com fervor, e quando ouvi o solfejar alegre da vida em plena sorte, clamei ao vento numa canção em prece, mãos postas aos céus pedindo clemência, por piedade, leva-me ao outro lado do oceano, assim, no mais profundo sentimento vem ouvir, meu amor o cantar dos pássaros, o sorriso que retorna, e ao lembrar-me de ti, meu rosto se transforma, pois aqui estou eu despida de qualquer maldade como diva vestida da simples poesia nas searas da vida, querendo apenas que o passado presente retorne aos meus braços.


Escritora Mj, em 01/02/2017