quarta-feira, 12 de outubro de 2016

INOCENTES SONHOS PERDIDOS

Quem dera poder voltar no tempo
A ser criança e ter irmãos ao redor
Brincar na calçada livremente sem medo
Sentar no chão firme rodeado de brinquedo
Resgatar inocentes sonhos perdidos da infância
Correr descalço nas ruas empoeiradas
Jogar bola, pedrinhas, pular corda, ninar boneca
Contornar o céu com pipa, petecar
Correr de boto, esconde-esconde, rodar pinhão
Amarrar os carrinhos nas brincadeiras
Cair, machucar, chorar e levantar
Ao chover se sujar no lamaçal de braços abertos
Feito asas a voar como pássaros soltos cantarolando
Fazer castelo de areia na certa até do estrangeiro
E no mapeamento da vida, isso fica na imaginação
Então é bom aproveitar enquanto é tempo
Pois ele passa como o sopro do vento
Quando se vê é hora de enfrentar a realidade
Gerar outro ser e retornar ao sonho de fantasia
No rincão do agreste alagoano, ou no sertão brasileiro
É magia que encanta os versos do poeta com alegria.

(Escritora Mj...12/10/2016)

Nenhum comentário:

Postar um comentário